quinta-feira, 9 de março de 2017

Show de Horrores no CO

Caros colegas,

A tarde do dia 7 de março tornou-se, sem dúvida alguma, um dos dias mais lamentáveis da história de nossa universidade, pois, como todos já devem saber, a votação dos Parâmetros de Sustentabilidade da Universidade de São Paulo aconteceu no início da noite de terça-feira antecedida por uma verdadeira batalha campal transcorrida nas cercanias do prédio da reitoria na Cidade Universitária.

Pessoalmente presenciei cenas lamentáveis naquela triste tarde, afinal fui um dos conselheiros que encontrou dificuldades para entrar no prédio da reitoria, uma vez como era anunciado e era completamente esperado por toda comunidade USP, entidades de representação das três categorias (professores, servidores técnicos administrativos e alunos) legitimamente organizavam manifestações pacíficas nas cercanias do prédio desde a hora do almoço, como fora amplamente anunciado pelas entidades. Importante ressaltar que presenciei, apesar do impasse em torno da entrada dos conselheiros no prédio da reitoria, que os protestos eram pacíficos e até o início do confronto com a PM nenhum conselheiro foi realmente ameaçado pelos manifestantes. O máximo que acontecia era o impasse em relação à entrada no prédio para o início da sessão do CO, uma vez suas entradas estarem sendo guardadas pelas forças de segurança da Guarda Universitária e da PM, o que impedia o acesso de qualquer pessoa ao prédio.

Como já amplamente relatado pelas três entidades, publicado na imprensa e largamente narrado nas redes sociais, por volta das 15 horas e 30 minutos começou o confronto da PM com os manifestantes, após a polícia militar tentar dispersar os manifestantes de forma mais que truculenta, com bombas de efeito moral, gás pimenta e lacrimogêneo e outros armamentos "normalmente" utilizados em confrontos deste tipo. As cenas que se seguiram por mais de uma hora em torno do prédio da reitoria foram inacreditavelmente lamentáveis, ainda mais se lembrarmos que estamos falando de um campus universitário.

Não me estenderei no relato das cenas tristes e lamentáveis, mas somente gostaria de registrar aqui em nosso blog a minha entrada no prédio da reitoria.

Depois de conversar com vários conselheiros e manifestantes sobre a importância da entrada dos conselheiros no prédio, uma vez sabermos, por notícias chegadas daqueles que estavam dentro do prédio, que a intenção da reitoria não era pela suspensão da reunião e que era somente aguardado o quórum regimental para o início da sessão, eu e mais um pequeno grupo de conselheiros resolvemos entrar pela porta da frente da reitoria. Nosso objetivo inicial era entrar para dialogar com nosso reitor, apelando ao bom senso e pela suspensão da sessão do CO.

Para tanto um pequeno grupo de conselheiros teve que caminhar por uns cinquenta metros gritando para a PM nos identificar como conselheiros. Ao perceberem que éramos daqueles que desejavam "proteger" (afinal, a guarda universitária já havia nos informado que a PM iria "garantir" a nossa entrada) agiram de forma a possibilitar nossa chegada até a portaria da reitoria. Isto significou que um grupo de mais ou menos 10 policiais caminhou em formação de ataque, protegidos por escudos e armas voltadas à dispersão, em nossa direção atirando bombas contra os manifestantes que ficaram a nossas costas lançando pedras contra a PM. Obviamente que durante este curto trajeto nosso grupo esteve exposto a possibilidade de sermos atingidos pelas pedras dos manifestantes ou pelas munições utilizadas pela PM contra os manifestantes......e realmente um dos integrantes de nosso grupo foi atingido durante a "travessia", felizmente meu colega conselheiro "somente" foi atingido no braço por algo que não produziu nenhum ferimento mais grave......

Qual votação dentro de uma universidade é tão importante que vale a pena expor qualquer pessoa a uma situação como essa?

Bem, não me estenderei em relatos sobre feridos ou ações inacreditavelmente truculentas que presenciei, hoje já temos uma profusão enorme de relatos e vídeos circulando nas redes sociais e veiculadas pela grande imprensa. Mas por outro lado, faço questão de deixar aqui meu registro indignado com a situação que vivi na última terça-feira, sinceramente, julgo ser profundamente lamentável que nossa universidade conviva com cenas como aquelas que presenciei naquela triste tarde.

O resultado final da sessão do CO provavelmente todos já sabem, até porque a sessão iniciou-se por volta das 17hs e foi normalmente transmitida pela IPTV (http://iptv.usp.br/portal/video.action?idItem=36078).

Os Parâmetros de Sustentabilidade da USP foram aprovados por 52 a 32 votos, depois de uma longuíssima sessão. Apesar de ainda haver importante destaques que serão votados na próxima sessão do CO, os quais destaco que no caso de aprovação poderão mudar substancialmente o teor da proposta aprovada pelo CO no dia 7 de março.

Termino dizendo que ao entrar na sala do CO mantive um diálogo acalorado com o nosso reitor, ao dizer com todas as letras ao Prof. Marco Antonio Zago que entendia como surreal sua intenção de manter a reunião, pois eram muito graves os acontecimentos que se desenrolavam nos arredores do prédio, clamando pelo bom senso de suspender a sessão como forma de cessar os episódios de violência que estavam acontecendo naquele momento. Recebendo como resposta que aquilo não era responsabilidade dele, pois os responsáveis seriam "vocês", fala que rebati fortemente pois nunca compactuei, e este blog é prova disto, com qualquer ação violenta de qualquer grupo ou pessoa. Terminamos nosso diálogo de maneira dura quando solicitei ao reitor que não levantasse a voz para mim, pois não aceitaria sem reagir, uma vez sempre o ter tratado com o respeito e consideração, mesmo na maior parte das vezes discordando frontalmente de suas posições. Depois desta fala, o Prof. Zago serenou seus ânimos e tanto ele como eu terminamos nossa conversa de forma amena.

Fico a disposição de todos como sempre.
Abraços; 
Zé Renato

Um comentário:

  1. Uau... maravilhoso relato Zá Renato. Tanto do absurdo da ação truculenta e inesquecivel daquela tarde como da sua discussão calorosa. Obrigado pelos relatos e tentativas de levar bom senso ao conselho. Está faltando muito por lá...

    ResponderExcluir